Encontre o que você precisa agora, no seu bairro.

Falta de repertório no ataque fazem reservas do Fluminense sofrer empate no fim do jogo

fluminense
O Fluminense controlou o jogo, mas não conseguiu finalizar as jogadas e faltou criatividade para vencer o Boavista.

Divulga pra geral:

A noite da última quinta-feira foi uma noite para o torcedor tricolor que compareceu ao Maracanã esquecer. Atuando com reservas, o Fluminense teve a bola, controlou o jogo, mas não conseguiu encaixar ofensivamente. O empate em 1 a 1 com gol no fim deixou um gosto amargo e atrapalhou o sono de quem pagou o ingresso, foi ao estádio e foi “ninado” por quase 90 minutos sonolentos.

Time alternativo

Sem as principais peças, o Flu seguiu o esquema de rodízio adotado por Fernando Diniz e pela comissão técnica neste início de temporada. Desde o início, o time alternativo do Flu trocou passes, atuou no campo adversário e pouco sofreu com as investidas do então lanterna Boavista.

Falta de criatividade

Mas, mesmo com volume no campo ofensivo, o que vimos foi uma equipe de pouca criatividade, uma equipe que não sabia o que fazer diante da retranca adversária. O gol tricolor saiu nos minutos finais de um primeiro tempo ruim, em boa jogada de Lima, que mandou para a área, para Kevem desviar de cabeça e marcar contra.

Segundo tempo

No segundo tempo, o Flu voltou mais consistente e criou uma boa chance de cara com Lima, que lutou pela bola na linha de fundo pelo lado direito, deu uma caneta e tocou para Marrony. O atacante rolou para Michel Araújo bater, mas o goleiro Fernando fez a defesa. Lima, aliás, neste jogo, foi o único que pediu chances na equipe principal.

Expulsão

Momentos depois, Léo Sheldon, do Boavista, recebeu o segundo amarelo e foi expulso por chegar com força excessiva em cima de Michel Araújo. O camisa 25 tomou dois cartões em três minutos e ficou apenas 11 minutos em campo.

Falta de matar o jogo

Com um a mais, a tendência era que o Fluminense buscasse um placar mais elástico com o que o jogo se desenhava. Mas não foi o que aconteceu. Felipe Melo até chegou a balançar a rede, mas pelo lado de fora, em chute dentro da área. Mas a falta de criatividade seguiu ditando o ritmo no segundo tempo.

Gol de empate

Quando o placar parecia definido, André, que entrou na segunda etapa, marcou o gol de empate para o Boavista aos 47 minutos do segundo tempo. O gol foi uma espécie de prêmio para a equipe adversária, que não merecia sair com um ponto do Maracanã, mas que aproveitou a falta de eficiência do Fluminense para empatar o jogo.

O Fluminense atuou com um time alternativo e controlou o jogo, mas não conseguiu finalizar as jogadas e faltou criatividade para vencer o Boavista. A expulsão do jogador do Boavista daria a oportunidade para o Fluminense ampliar o placar, mas a equipe não aproveitou e acabou sofrendo o gol de empate no final do jogo. O resultado deixou um gosto amargo para os torcedores tricolores e atrapalhou o sono dos que foram ao Maracanã, mas agora é hora de seguir em frente e trabalhar para melhorar os resultados.

Seja o primeiro a saber

Cadastre-se e receba em primeira mão as informações do seu clube de coração

Outras notícias sobre Fluminense